A qualidade do ar nos locais de trabalho é um dos fatores básicos a considerar na saúde dos trabalhadores. Dos diversos elementos condicionantes à saúde humana existentes num ambiente de trabalho, as substâncias químicas ocupam o mais extenso grupo de fatores de risco de natureza profissional.

Por este motivo, deverá ser avaliada a exposição dos trabalhadores com o objetivo de garantir que não são ultrapassados os valores limite estabelecidos para os diversos agentes poluentes. Estas avaliações devem ser repetidas de forma periódica e sempre que se verifique qualquer alteração das condições suscetíveis de se repercutirem nos trabalhadores.

Se os Valores Limite de exposição (VLE), fixados no Decreto-Lei n.º 24/2012 de 6 de Fevereiro e na Norma Portuguesa 1796 de 2014, forem ultrapassados, o empregador deverá implementar medidas que visem a redução da exposição dos trabalhadores, garantindo também a informação/formação aos mesmos, consultando-os e promovendo a sua participação.

O ENVILAB realiza avaliações da qualidade do ar interior/exposição a agentes químicos, dispondo de um vasto leque de parâmetros e métodos analíticos (Poeiras Totais e Respiráveis, Sílica Cristalina, Metais, Compostos Orgânicos Voláteis, Monóxido de Dióxido de Azoto, Dióxido de Enxofre, Dióxido e Monóxido de Carbono, Formaldeído, Fenol, Metanol, Ácido Acético, Óleos Minerais, entre outros).