A qualificação profissional é o motor que permite elevar uma competitividade efetiva e saudável à empresa. Trata-se de uma aposta que implica um determinado investimento, mas que é largamente compensado a curto prazo. Sem qualificação não há produtividade, motivação do empregado, nem competitividade da empresa.

Inegavelmente, a importância da formação profissional já ultrapassou há muito a mera obrigatoriedade legislativa prevista no Artigo 131 do Código do Trabalho.

A empresa que não investe na qualificação dos seus colaboradores é uma empresa que não investe na sua própria modernização.